síndico ou administradora de condomínio em Juiz de Fora

É melhor síndico ou administradora de condomínio em Juiz de Fora?

Pergunta complexa, não é mesmo? Contudo, tem jeito de acertar nessa escolha com tranquilidade! Em resumo, confira as dicas rápidas abaixo e pronto, decida entre síndico ou administradora de condomínio em Juiz de Fora!

1. Tamanho do prédio 

Primeiramente, saiba que essa é uma escolha que deve ser discutida em reunião de condomínio. Nada melhor do que todos conversando e expondo suas opiniões com segurança para a decisão ser em conjunto.

A princípio, vocês precisam levar em conta a estrutura do prédio. Sobretudo, pensem: é um espaço maior, que demanda mais atenção e mais controle? Ou o condomínio tem poucos moradores, por exemplo?

O síndico é preferido em situações onde o prédio tem um número reduzido de andares, não tem área de lazer e por aí vai.

2. Síndico ou administradora de condomínio em Juiz de Fora: quem faz o quê

Ah, você sabe que mesmo existindo uma administradora de condomínio, a figura do síndico existe? Ainda sim o síndico é necessário, só que neste caso com menos atribuições.

O síndico tem um papel mais estratégico e por conseguinte, a administradora tem uma função mais focada no seu auxílio. Clique aqui e confira o que o artigo do Código Civil esclarece sobre as demandas do síndico.

Não apenas, mas o síndico fica atento aos direitos e deveres dos condôminos, prestações de contas, manutenções, compras gerais, segurança, assembleias, ocorrências diversas, contratação de terceiros e por aí vai.

Já as administradoras de condomínio contam com profissionais especializados nesse trabalho que antes era só do síndico. Principalmente no que se diz respeito a cobranças de taxas condominiais, gestão financeira, jurídica, administrativa e de recursos humanos.

Em geral, a administradora pode atuar de duas formas: cuidando de todos os aspectos administrativos do condomínio ou apenas resolvendo problemas burocráticos, legais e contábeis (chamado de cogestão ou gestão compartilhada). O síndico, nesse caso, ficaria com uma função estratégica da gestão e transferiria as demais tarefas à administradora. Clique aqui e saiba mais. 

3. Pesquisa

No momento em que a dúvida continua entre síndico ou administradora de condomínio em Juiz de Fora, é hora de pesquisar, como você está fazendo ao ler esse post.

Ligue para algumas administradoras, converse sobre seus serviços, preços e dias trabalhados. Um bate-papo rápido pode ser esclarecedor!

4. O síndico nunca está sozinho

Subsíndico, conselheiros, tesoureiro e outros cargos também ajudam no dia a dia do condomínio e são de extrema valia para o síndico, portanto não esqueça desse auxílio!

Sem falar nos deveres dos moradores já citados anteriormente. É interesse de todos que o prédio funcione na maior tranquilidade possível.

5. Síndico profissional

A lei diz que o síndico pode ser ou não condômino. Se o síndico não for morador do prédio, ele é externo ao condomínio, que pode ser pessoa física ou jurídica.

Sabe quando acontece isso? Quando você contrata um síndico profissional. Sim! Apesar de esquisito inicialmente, é uma prática cada vez mais comum. Eles possuem CNPJ e tudo mais.

Quem sabe o síndico profissional é uma opção para o seu prédio?

6. Preço do condomínio

Está achando a sua taxa de condomínio um pouco alta? A gente te entende. Clique aqui e veja um passo a passo para você pagar mais barato!

Se ficou alguma dúvida, é só entrar em contato com a Souza Gomes!

Thaiza ass

Thaiza Gribel


Jornalista e Assessora de Comunicação da Souza Gomes Imóveis

O que você achou desse texto?

%d blogueiros gostam disto: