Sete dicas para evitar problemas na reforma do imóvel

A reforma do imóvel em Juiz de Fora ou em qualquer outra cidade é algo que preocupa todos os envolvidos no processo. Essas mudanças podem ser exaustivas, incômodas e, em alguns casos, longas. E nada melhor do que controlar todas as variáveis desde o início, certo?

Para que a reforma do imóvel seja feita com sucesso, é preciso seguir algumas orientações. Precisa de ajuda? Confira sete dicas para não ter dor de cabeça!

1º – Planeje a reforma do imóvel

O primeiro passo é traçar um planejamento detalhado de toda a reforma.

Comece elaborando uma listagem com todos os espaços a serem reformados. E, claro, leve em conta o seu orçamento.

Esse planejamento funcionará como um guia a ser seguido do início ao fim da reforma. Assim, nada sai do previsto ou impede a sua continuidade.

2º  – Procure um serviço profissional

Contar com um profissional para fazer o projeto e supervisionar sua obra é fundamental.

O projeto arquitetônico promove a materialização dos seus desejos, sem comprometer a técnica e funcionalidade dos ambientes.

É no escopo do projeto que o profissional atua especificando os métodos e materiais que atenderão as suas necessidades.

Esse profissional também pode supervisionar a obra e a equipe de trabalho para garantir que tudo seja executado dentro do esperado. Com esse trabalho, é evitado desperdícios e o não cumprimento dos prazos.

Esse apoio é a garantia de uma reforma de sucesso.

3° – Pesquise por referências da equipe 

Antes de fechar os serviços, é importante conhecer trabalhos anteriores da equipe ou profissional contratado.

Não busque o profissional pelo menor preço e sim pela qualidade, viu? Além disso, tenha certeza de que a equipe é especializada em relação ao serviço a ser contratado.

4º – Compre materiais através de cálculos

É importante definir com o arquiteto responsável os materiais e os quantitativos que serão adquiridos para a reforma do imóvel. Lembre-se sempre de comprar com uma margem de segurança para evitar possíveis inconvenientes.

Saiba que a especificação correta de materiais evita aborrecimentos e problemas futuros.

Outro detalhe é que cada material tem suas especificidades e deve ser utilizado nos lugares onde são indicados pelos fabricantes.

É importante lembrar que aqui também o preço não deve ser o parâmetro fundamental para a aquisição dos materiais, combinado? Coloque na balança a qualidade do que você está comprando.

5º – Se informe sobre a legislação e autorização de obra

Antes de iniciar a reforma do imóvel, informe-se sobre quais os documentos serão necessários para o andamento da obra. Faça esta verificação junto aos órgãos competentes do seu município e conte com a orientação do arquiteto nessa etapa.

Falando em documentação… Exija do seu arquiteto a ART, ou seja, a Anotação de Responsabilidade Técnica do profissional de arquitetura junto ao Conselho de Arquitetura e Urbanismo.

6º – Foque em organização

Organizar o espaço da reforma é fundamental. Isso inclui estabelecer procedimentos para que a obra esteja sempre limpa e organizada.

Um exemplo é providenciar locais para armazenar os materiais recebidos. Eles deverão ser conferidos por uma só pessoa que ficará responsável por essa etapa. Outras dicas são contratar caçambas para a retirada de entulho e proteger pisos que porventura não serão retirados durante a reforma.

Essas são algumas providências que farão com que sua obra aconteça sem maiores problemas!

7º – Respeite os prazos 

Para o cumprimento efetivo dos prazos é fundamental manter o foco e seguir o projeto inicialmente aprovado.

Evite mudanças de última hora! Isso gera atrasos e aumento dos custos de mão de obra e materiais.

Por fim, tenha em mente que um projeto bem elaborado e uma obra programada evita surpresas desagradáveis e estresse entre os envolvidos nesse processo. Isso ninguém quer!

Mãos à obra e boa reforma!

Katy Barbosa é Designer de Interiores e Arquiteta Urbanista, mestre em Gestão do Ambiente Construído e professora acadêmica. Diretora de Projetos da Brick Arquitetura + Interiores. 

O que você achou desse texto?

%d blogueiros gostam disto: